Agende sua Consulta

Katharina Dupont

“Talvez algumas vezes você se pergunte o que é importante na sua vida, por que se sente de uma determinada maneira ou como poderia curar antigas feridas e descobrir as peças que faltam no seu ser. Pode até ser que até alguma vez por outra se pergunte quem você é. Caso queira encontrar as respostas para suas perguntas mais profundas e mais íntimas, venha caminhar comigo. Essa jornada irá conduzi-lo à terra de origem dos sonhos , às profundezas da sua psique. É uma jornada de renovação espiritual e pessoal. Nela você visitará a terra das imagens mais vitais da sua vida. Encontrará sua mãe e seu pai, o demônio que o persegue, e terá visões dos seus sonhos e esperanças. Será capaz de compreender todas as suas questões mais importantes, aquelas que o tornaram quem você é. Perceberá como realmente se sente a respeito dessas questões e descobrirá o que pode fazer para mudar o que precisa ser mudado na sua vida."
A Aventura da Auto Descoberta - Alexandra Collins Dickerman

Mas como funciona o Tarot?


Esta é uma pergunta que ouço muitas vezes. E como digo sempre que precisamos de simplificar, para mim há uma forma muito simples de explicar como as cartas de Tarot fazem a sua magia. Numa palavra: sincronicidade.
Este é um conceito explicado pelo psiquiatra suiço Carl Jung (1875 - 1961), que se interessou muito por algumas artes divinatórias, inclusive o I Ching - um antigo oráculo chinês. Apesar de não ter escrito nenhum livro sobre Tarot, há documentos que relatam uma palestra sua, dada em 1933, em que Jung mencionou as cartas de Tarot:

"São imagens psicológicas, símbolos com os quais jogamos, tal como o inconsciente parece jogar com os seus conteúdos. Combinam-se entre si, e as diferentes combinações correspondem ao desenvolvimento lúdico de eventos na história da humanidade. As cartas de Tarot originais consistem nas cartas comuns, o rei, a rainha, o cavaleiro, o ás, etc., - mas as figuras são de alguma maneira diferentes - e além disso, há vinte e uma cartas nas quais figuram símbolos, ou imagens de situações simbólicas. Por exemplo, o símbolo do sol, ou o símbolo do homem pendurado pelos pés, ou a torre atingida por um relâmpago, ou a roda da fortuna, e por aí fora. Estes são uma espécie de ideias arquetípicas, de natureza diferenciada, que se misturam com os elementos comuns do fluxo do inconsciente, e por isso são aplicáveis a um método intuitivo que tem como finalidade a compreensão do fluxo de vida, possivelmente até prever eventos futuros, em todos os casos prestando-se à leitura das condições do momento presente. É nesta forma análogo ao I Ching, o método chinês de adivinhação que permite pelo menos uma leitura da condição presente."

Voltando à sincronicidade, é o princípio explicativo pelo qual os acasos e os fenómenos aparentemente não explicáveis encontram sentido e podem ser reconhecidos e compreendidos no tempo; Explica como nada acontece ao acaso, cada acontecimento tem um significado mais profundo e tudo está ligado.
No momento em que escolhe uma carta, é o momento em que coloca ordem no caos; a carta é o veículo que projeta no exterior algum tipo de energia que está no interior, e precisa de ser manifestada nesse momento.

Através do estudo da estrutura única do Tarot e da sua simbologia, conseguimos fazer acontecer magia!

Pode falar!